21/07/2014 12:20

Sala de jantar

Fazer refeições em uma sala de jantar bem decorada é algo muito prazeroso. E existem diversas formas de conseguir bons resultados nos estilos clássico, provençal, minimalista, rústico e tantos outros que transformam o visual da sala. Mas o resultado irá depender principalmente da escolha correta de móveis, itens decorativos e luminárias, além da presença de um corredor de circulação adequado.

CIRCULAÇÃO

Ter um espaço confortável para circular na sala de jantar é algo importante e deve ser valorizado. Por isso, nada de usar peças em excesso ou fora de proporção. Lembre-se sempre da regra “menos é mais”, principalmente em locais pequenos.

AMPLITUDE

Outra prioridade na decoração é aproveitar ao máximo a área disponível. Isso significa lembrar dos cantos e usar peças decorativas funcionais – como mesas redondas de poucas cadeiras e móveis multiuso. A sensação de amplitude também será garantida por meio da presença de luz, natural ou não, vinda de grandes janelas, lustres e spots espalhados pelo teto. Outro trunfo decorativo é a presença de vidros e espelhos, que podem ser usados em faixas ou na parede toda, com o objetivo de valorizar o ambiente e transmitir a ideia de espaço.

MOBILIÁRIO

O principal cuidado ao escolher os móveis é respeitar o projeto e pensar no tamanho de cada peça, deixando tudo na proporção certa. Mas não é só isso. Itens como mesa, cadeiras e buffet de apoio são os que devem marcar presença no ambiente, no entanto, sempre vale pensar em adaptações. O buffet pode ser substituído por um carrinho de chá e a mesa contar com uma estrutura retrátil. Quem tem salas de jantar integradas a outros espaços consegue ainda aproveitar as bancadas acopladas à pia da cozinha e aos aparadores do living.

ILUMINAÇÃO

Nada de deixar cantos no escuro ou pouca iluminação na mesa de jantar. O ambiente precisa de um projeto luminotécnico adequado, de modo que a comida não tenha suas cores alteradas. Existem diversos tipos de luminárias, sendo os spots, as arandelas e os lustres os mais usados. Lembre-se apenas de recorrer a dimerizadores para controlar a intensidade dos fachos de luz.

COR

Engana-se quem imagina que as cores dos ambientes não afetam a percepção dos moradores. Elas interferem sim e podem, inclusive, tirar nossa fome durante as refeições. Cores frias como verde e azul são bons exemplos, pois trazem frescor e tranquilidade, mas diminuem o apetite quando nas paredes da sala de jantar. As tonalidades quentes vermelho e laranja têm efeito contrário e ainda deixam as pessoas mais agitadas. Desse modo, a melhor alternativa para o espaço das refeições é a sofisticação dos tons neutros – branco, bege ou cinza. Mas tenha cuidado em salas de jantar integradas, já que isso implica a manutenção da estética decorativa do restante da casa.

Fonte: arkpad